Pular para o conteúdo principal

Postagens

Batalha das Casas de Análise #1

  Há anos assino relatórios de casas de análises.  Assim como gosto de ler cartas de gestão dos fundos multimercados e de ações, relatórios de casas de análise me permitem ver várias facetas de uma empresa, a visão por vezes peculiar do analista, e os meus vieses. Esses relatórios são boas bússolas para nós, pessoas físicas que não podem dedicar um tempo relevante para a prospecção de ações, fundos imobiliários etc. Ocorre que eu nunca plotei os dados dessas casas e comparei o desempenho entre elas. Resolvi fazer isso agora. E também achei por bem compartilhar os resultados futuros neste espaço, pois pode ser de valia para quem busca qual serviço assinar. Antes de expor quais são os relatórios que selecionei, convém explicar qual a metodologia que eu vou empregar para analisar 03 carteiras: (1) O valor inicial de cada carteira será de R$100.000,00 (cem mil reais). Um valor que acho razoável para começar a se pensar em investir em ações individuais. Claro que isso é pessoal, mas se eu t
Postagens recentes

Insegurança é a marca do Brasil

Se não te sobra tempo na segunda-feira, ou se você precisa priorizar leituras, escolha esse artigo postado no Brazil Journal: https://braziljournal.com/a-crise-dos-pedagios-cariocas-acabara-com-seu-esgoto Ficar otimista com o Brasil é sempre uma atividade de alto risco. Essa matéria é fundamental para você que, assim como eu, investe no setor de infraestrutura, seja via ações ou debêntures.  Curiosidade para os que são do meio jurídico: perceberam que o Humberto Martins apodrece tudo por onde passa?  ***  No Brasil as coisas não morrem com um estrondo, mas com um gemido. A grande ideia de Guedes é dar calote nos precatórios federais (dívida da União) para financiar parte da Renda Brasil. Calote criando futuro calote.  Para agravar, também cogita usar parte do dinheiro do Fundeb. Lembre-se que o dinheiro do Fundeb está fora do teto, logo estamos criando uma nova despesa que não respeita a emenda constitucional do teto de gasto.  E por que não direcionar outras despesas via Fundeb? Afin

Resultado de Fevereiro de 2019

INDICADORES RT Rentabilidade em Fevereiro de 2019: + 0,27% Rentabilidade anual:  + 5,88% Rentabilidade histórica (desde agosto de 2016): + 43,21% Proventos recebidos no mês: R$ 636,28 Taxa de poupança do mês: 50% Estou sentindo a crise. Este fevereiro foi o pior mês em comparação a quando comecei a trabalhar. Essa alta taxa de poupança se deve mais a um controle espartano de gastos do que uma receita muito elevada. Em fevereiro, promovi mudanças na carteira: Venda da minha posição de PRÉ-FIXADO 2021 , com lucro de 6,50% em seis meses de investimento. Isso ajudou a segurar a carteira no positivo, a despeito da queda da bolsa. Exercício do direito de preferência na nova emissão do FII GGRC11 . Compra do FII XPML11  da terceira emissão (aqui não consegui o lote mínimo, infelizmente). As minhas Inflação-35  e Inflação-50  mantenho em carteira. Têm uma margem de gordura boa para o caso do Banco Central reduzir mais o juro. Seguindo o en

Missiva RT - Janeiro de 2019

INDICADORES RT Rentabilidade em Janeiro de 2019: + 5,60% Rentabilidade histórica (desde agosto de 2016): + 42,73% Proventos recebidos: R$ 571,00 Taxa de poupança do mês: 57% Mês supervalitivo para todos. Na última vez que tive uma rentabilidade mensal na faixa dos cinco por cento foi em outubro de 2018. Bom revisitar esse sentimento em tão curto espaço de tempo. Em janeiro consegui aportar um dinheiro novo razoável, mas mandei ele descansar em SELIC enquanto resolvo onde mirar o cano da carteira. Fevereiro será um mês de mudança mais profunda na minha carteira. Vou exercer um belo lucro no tesouro direto e limpar alguma porcaria da carteira de ações. Meu pré-fixado 21  já me entrega + 8,35% em seis meses. Inflação 35  entrega + 23,83%, ao passo que inflação 50  entrega uma delícia de + 42,17%. No campo profissional, janeiro não foi o um mês amigável, apesar da minha taxa de poupança acentuada - mais de esforço no controle de gastos do que de

Dezembro 2018

Dezembro 2018 + 0,72 % Rentabilidade anual + 7,28 % E finalizamos 2018 com um desempenho de aproximadamente 113% do CDI. Satisfeito. A brincadeira fica mais chata se eu coloco o imóvel na conta. Com ele, a rentabilidade em dezembro fica em 0,5% e a anual em 5,33 %, ou seja, aproximadamente 83% do CDI. Ano esquisito esse 2018. Clima político pesado, amizades sendo rompidas, ânimos exaltados, crise econômica persistente e risco no meu emprego. Neste último quesito não ando muito empolgado para 2019 … Foi um ano muito ruim para a poupança, pois banquei a vida de rei. Foi um ano tão estressante que gastei muito em viagens e bebidas. Nada politicamente correto e uma heresia para alguém que pretende juntar dinheiro para mudar de emprego. Visitei alguns países na Europa e gastei R$27.086,00. Bebi excelentes vinhos, viajei em lugares encantadores, assisti a um belo concerto de ópera e remei em um lago patrimônio da humanidade. Chutei a porra do

Ganhos de novembro e um olhar para os erros

+ 2,30 % Vem ni mim 2019 ! Depois de um ano bizarro, a carteira começa a convergir em rentabilidade acima do CDI. Atualmente está em 6,51% no ano. Se dezembro for generoso, teremos uma vitória. Antes de falar sobre as escolhas de investimentos do mês, sobre a rentabilidade e demais pontos, quero falar de erros . Sim, coisa dolorosa. Erros que cometi na minha carteira. ERRO 01 - PAR CORRETORA Comprei a PAR CORRETORA quando do seu IPO. No início, as ações só me deram alegria subindo que nem um foguete. No decorrer do processo, a empresa mudou o nome para WIZS3 , e suas ações chegaram a bater em R$20,00. No IPO em paguei R$10,40. Mas a anta aqui caiu na pegadinha do contrato com a Caixa e subestimou - em muito! - a possibilidade de ele não ser renovado. Para a minha vergonha, trabalho em área contratual. É a velha história de casa de ferreiro, espeto de pau. O fato é que as ações vão lateralizar enquanto as nuvens da relação da Wiz com o balcão

FECHAMENTO - OUTUBRO DE 2018

"Uma coisa que o Bill [Nordhaus] e eu defendemos fortemente e acreditamos profundamente é o poder do mercado como mecanismo de descoberta" - Paul Romer Gostei muito dessa frase de um dos ganhadores do nobel de economia. Outubro foi um mês de excelente rentabilidade, como podem ver no resultado abaixo. Estou satisfeito de ver minha carteira evoluindo mês a mês. De ver os proventos melhorarem ano a ano. Apesar disso, ainda estou resistente em ser otimista com o Brasil. Por mais que o Bolsonaro queira se mostrar liberal, por mais que tenha o Guedes no seu encosto, os sinais são dúbios e, por vezes, contraditórios. Qual reforma da previdência satisfaz Bolsonaro? Ele tem mesmo convicção do monstrinho devorador de orçamento que a previdência pública (regimes próprios) virou? Qual a convicção na redução do estado através de privatização? Enxugamento de ministérios é bacana, legal, mas é mera bijuteria frente ao verdadeiro problema. Enfim, seguimos na esperança d