FECHAMENTO - SETEMBRO DE 2018

Sempre desprezei as coisas mornas,
as coisas que não provocam ódio
nem paixão, as coisas definidas
como mais ou menos, um filme mais
ou menos, um livro mais ou menos.
Tudo perda de tempo.
Viver tem que ser perturbador,
é preciso que nossos anjos e demônios
sejam despertados, e com eles sua
raiva, seu orgulho, seu asco, sua
adoração ou seu desprezo.
O que não faz você mover um
músculo, o que não faz você
estremecer, suar, desatinar, não
merece fazer parte da sua biografia.
  • Martha Medeiros
Setembro nunca foi um mês bom em faturamento. Contudo, este surpreendeu e foi ainda pior. Imputo a culpa no clima eleitoral, pois sinto uma resistência nas pessoas em criar novas obrigações ou se aventurar judicialmente.
Pudera, com a perspectiva de uma volta do PT ao poder, até eu estou perdendo um pouco de cabelo. Petista é, antes de tudo, um delirante (e, depois, um bandido), vide a entrevista que o Dirceu deu recentemente.
Aporte pequeno em setembro. Com esse dinheiro novo comprei um pouco de HGLG11. Os proventos que recebi foram destinados à Inflação-2035, com uma taxa quase cravada de 6%.
Fleury e Ultrapar continuam causando um vexame na minha carteira de ações. Mas nada se compara ao vexame de Qualicorp. E isso porque essa empresa integra o “badalado” novo mercado. Governança no Brasil continua vergonhosa.
Mantenho um bom volume em SELIC para eventuais oportunidades, mas a oportunidade que eu quero mesmo é de enviar uma boa parcela do patrimônio para os EUA.
Rentabilidade em setembro de 2018 ….. -0,13%
Rentabilidade anual ….. -1,14%
Rentabilidade acumulada* ….. 24,65%
*Desde agosto de 2016
** Rentabilidades apenas dos ativos financeiros. Se considerar o imóvel no cálculo, ela seria de -0,10%, -0,80% e 22,09%, respectivamente.
Carteira levemente acima do CDI. Se continuar nessa toada, levo uma invertida do índice.
Abraços!
17

Comentários